sábado, 24 de maio de 2008

Indiana Jones e o reino da caveira de cristal


Hoje assisti ao filme que faz tempo que eu aguardava. Harisson Ford continua o mesmo, nem parece que se passou 19 anos do último Indiana. Spilberg fez questão de manter o estilo do filme e para quem não viu a trilogia da década de 80, não vai entender muitas referências que são mostradas. Acho mesmo que ele nem se preocupou com esta nova geração, mas preparou esta edição aos fãs da década de 80.
Agora, se esta garotada tiver pais como eu, que loquei a trilogia para minha filha de 10 anos assistir antes de ver este, é a melhor solução para que eles entendam este filme. Mas, o que mais me impressionou foi uma citação dita por Indiana: “Estamos em uma época da vida em que ela pára de dar e começa a tirar”. Muito profundo não é? Tinha relação com a idade dele neste filme. Achei muito interessante e verdadeira. Quanto ao enredo não quero antecipar nada para não tirar o prazer das surpresas de quem ainda não assistiu.
Trailer do filme:

5 comentários:

Pedro Henrique disse...

Eu vou ver na terça, depois te conto o que achei.

Beijo!

Rodrigo Azevedo disse...

Eu assisti tambem, numa sessão só com adultos. Muitos viraram crianças, alguns já o viam pela segunda vez (acredite se quiser). De um modo geral é um filme bacana, com bons momentos. E boas tiradas no roteiro.

Rodrigo Fernandes disse...

Honestamente, Mirian, eu curti apenas como diversão e não o levei a sério...
tipo, não sou fã do Indy.. mas curto filems de aventura e tinha curtido qdo vi o arca perdida... mesmoa ssim nada para ficar tão empolgado ou ansioso para ver o seu retorno... mas retornou em bom estilo e em plena forma tbm...rs
mas achei meio forçado os efeitos exagerados demais e a história tbm como todo aquele lance final, além da personagem caricata da Cate Blanchett... mas como não fã.. pelo menos me diverti..rs
beijos

Rodrigo Azevedo disse...

Ah, Rodrigo. Eu acho que a Blanchett é a nova Bette Davis, sem exageros. E nesse filme ela tá demais, poxa... Valeu por ela.

Miriam disse...

Realmente, este gênero é só para diversão. O que vale é ver um professor tão descolado da sala de aula. Não acham?
Beijos e obrigada pela visita.