domingo, 25 de maio de 2008

Os Vigaristas: Um estudo sobre TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)

Dirigido por Ridley Scott (Gladiador e Blade Runner) marca uma novidade na carreira do diretor. O filme é muito diferente de tudo o que o cineasta inglês já dirigiu. “Os Vigaristas” é luminoso e soa como uma lufada de ar fresco durante as férias de um esteta do cinema, além de exibir uma leveza inédita na obra dele. Se não é perfeito, ainda oferece diversão de qualidade, do tipo que não se encontra todo dia. Com Nicolas Cage e Sam Rockwell no elenco. Trata-se de um vigarista que sofre de diversas fobias, que o deixam extremamente obsessivo-compulsivo, agorafóbico, fumante inveterado e solitário. Tem pavor a lugares abertos e uma mania irritante por limpeza e organização. Nem pensa em aproximar-se de mulher, certamente devido a traumas passados. Quando seus ataques de pânico começam a ameaçar sua produtividade no crime, ele é forçado a recorrer à ajuda de um psicanalista (BRUCE ALTMAN) para mantê-lo em equilíbrio. É uma comédia com uma pitada de drama, trantando de um tema geral e diversos sub-temas , também interessantes. Um filme que passou batido, isto é, um excelente filme que não teve seu reconhecimento. Roy Waller (Nicolas Cage) e Frank Mercer (Sam Rockwell) formam uma dupla de vigaristas que planejam golpes até clichês, mas que sempre dão certo. Sabe o truque de ligar para uma pessoa qualquer e informar que ela ganhou um prêmio, e que só precisa pagar uma taxa para recebê-lo? É mais ou menos isso. Eles são tão profissionais que vão até a casa dos “felizardos” vestidos de policiais antes que eles acionem a polícia. Os pontos fortes do filme são os TOC’s (Transtornos Obsessivos Compulsivos) do personagem. Lembra um pouco o filme Melhor é Impossível, com o Jack Nicholson. O protagonista simplesmente endoidece, começa a limpar a casa e ignora tudo ao seu redor até estar tudo limpo. Nem pense em abrir uma janela perto dele. Se alguém tiver passando por problemas parecidos, é uma ótima dica.
Trailer do filme:

2 comentários:

Pedro Henrique disse...

Eu adorei esse filme. O Cage está muito engraçado e o resultado me satisfez. Revela uma nova faceta do Ridley Scott.

Até mais!

Rodrigo Fernandes disse...

e tantas obras mais ou menos e de pessimo gosto do Cage ultimamente, esse aí ainda estava na fase boa dele... e realmente é um filme totalmente diferente do que vinha fazendo o Ridley Scott.. porém não me cativou tanto assim...
é interessante o estudo do TOC -a glo que até hj ainda não é tão divulgado e debatido...tbm é uam diversão ver o Cage... mas mesmo assim é uma bobra que gosto.. mas depois nem ligo mais pra ela..rs..
beijos