quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Eu sou o que eu leio


Mistérios inconfessáveis, às vezes leitura por prazer, ou para resolver algum questionamento. Quase sempre não satisfaz.
A leitura, para mim é assim:
Prazer, questionamentos, angústias, lembranças, emoções.
Ao folhear as páginas, vêm às lembranças e o cheiro leva-me a infância: Lobato.
Não há emoção, sensação, lembranças que dê conta do tempo.
Remexendo nas lembranças encontro Machado, Alencar, meu pai.
Um suspiro... Arrepios em Eça, Devaneios em Dumas Filho e admirar Dostoiévski .

Lembranças da infância em Beethoven, Mozart e Rachimaninoff.
Estremeço em Edgard Alan Poe.
O tempo passa,
Mas a busca continua.

Um comentário:

Pedro Henrique disse...

Se eu sou o que leio, então tenho um pouco de Nietzsche, outro pouco de Balzac, mais um pouco de Tolstói. E por aí vai...

Abraços, Miriam!!!