sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Sherlock Holmes : O mais excêntrico e arrogante detetive de todos os tempos


Dr. Watson ficou impressionado quando conheceu Sherlock Holmes pelo seu interessante método de dedução, comparando-o ao detetive francês Auguste Dupin, personagem de Edgar Allan Poe. Ofendido com a comparação Holmes respondeu: “Dupin é um sujeito medíocre”. Mas , claro, foi Dupin quem inspirou a criação do principal personagem de Sir Arthur Conan Doyle. Sua primeira aparição nas páginas da Literatura policial se deu no romance “Um estudo em vermelho”.
É nessa obra que Holmes pronuncia a frase que ecoaria na eternidade literária:”Elementar, meu caro Watson!”, em nenhuma outra história, Sherlock voltaria a falar a tal frase.É nesse mesmo livro que o famoso detetive inglês assevera a tamanha zombaria contra a base de sua criação. A verossimilhança do personagem de Conan Doyle é tanta que há quem acredite que ele de fato existiu,na Inglaterra existe até museu com pertences do mais conhecido residente da Baker Street.Essa crença tem suas razões plausíveis do ponto de vista literário, Sherlock é o personagem mais vivaz da Literatura policial e um dos mais expressivos de toda a Literatura, tanto que ofuscou o nome do seu próprio criador.
Interessante notar que em todas as narrativas, o foco do personagem secundário, no caso de Conan Doyle é o Dr. Watson quem narra estupefato as revelações dos mais intrigantes mistérios, impossíveis de serem desvendados pelos meros mortais. Mistérios estes que nem a Scotland Yard, mais um motivo de zombaria para Sherlock Holmes, é capaz de descobrir. Dupin,é claro, tem a mesma capacidade dedutiva de Holmes. A obra que mais influenciou a criação deste personagem foi "Os crimes da rua Morgue", conto que originou o gênero policial na Literatura, e A carta roubada, de Edgard Alan Poe. Se o genial Sherlock Holmes superou ou não o também genial Auguste Dupin, é assunto para a crítica especializada. A única tarefa incubida a nós simples leitores é a degustação do imensurável prazer de lermos as aventuras tanto de um quanto de outro.
Veja fotos de Jeremy Brett, ator que eternizou o personagem Sherlock Holmes, no cinema.

5 comentários:

Márcia disse...

Miriam acho quem deveriam fazer mais filmes ou uma série para televisão sobre Sherlock Holmes de novo ele é o próprio espírito das histórias de detetives que nós líamos quando éramos crianças e ficavamos fascinados sonhando em ser um deles.Eu tive a oportunidade de passar em frente a a estátua de Sherlock Holmes em Londres e dar um grande abraço nela... quanta saudade!!

Miriam disse...

Márcia, uma das obras mais lidas na bilblioreca das escolas é essa. Os alunos adoram o gênero policial, mas a nossa TV e o nosso cinema ainda não descobriu isso...
Beijos.

Rodrigo Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Fernandes disse...

Miriam, obrigado pelas palavras de conforto... pelo menos, dá para eu matar a saudade nos finais de semana qdo venho pra casa.. mas sei que um dia vou ter que parar, pois é cansativo e tudo mais ficar viajando... mas nada como ter os eu espaço.. porém sem se distanciar do núcleo (familia), das origens...

Adoro Sherlock Holmes e acho que a unica vez que vi um filme com ele foi naquele baseado na obra do Jo soares, o Xango de baker street... e numa versão mais caricata, debochada... ams é estranhoe les não darem tanta atenção pro Sherlock nos filmes, acho que deve mudar isso já que o Agente 86 foi feito pro cinema... e cada vez masi eles tão percebendo que é atrativo pros jovens historias de agentes secretos, detetives...
beijos!!!

Pedro Henrique disse...

Conan Doyle criou o personagem mais cultuado da literatura mundial. Os filmes que virão serão interessantes...

Abraços!!!