sábado, 3 de maio de 2008

A Divina Comédia


É um longo poema que consumiu os últimos vinte anos da vida de Dante Alighieri, poeta que viveu na Florença pré-renascentista entre 1265 e 1321. Resgatando a matéria das epopéias, o poema, escrito em primeira pessoa e obedecendo a uma simetria perfeita, narra a viagem de Dante pelo Inferno, Purgatório e Paraíso. São três livros, cada um composto de 33 cantos ( no inferno há um canto a mais que funciona como introdução), formado por estrofes de três versos (tercetos).
Primeiro terceto do poema:
Nel mezzo del cammin di nostra vita
mi ritrovai per una selva oscura
ché la diritta via era smarrita.
[...]
tradução literal:
No meio do caminho de nossa vida
me reencontrei numa selva escura
já que o caminho certo havia perdido.
[...]
Olha onde Olavo Bilac foi beber seu:
Nel Mezzo Del Cammin...
Cheguei. Chegaste.Vinhas fatigada
e triste, e triste e fatigado eu vinha
tinhas a alma de sonhos povoada,
e a alma de sonhos povoada eu tinha....
[...]
Olha onde Manuel Bandeira foi beber seu:
No meio do Caminho
No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedrano meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.
Fonte:www.ibpinestsp.com.br/helder/dante.
Excelente vídeo criado com imagens únicas, difíceis de conseguir na internet. São as ilustrações da obra original do autor, retratando o "inferno" de Dante Alighieri. Muito bem abrilhantada pela Lacrymosa de Amadeus Mozart.
Obs.: Quando eu era criança e folheava esta obra , que pertencia ao meu pai, eu ficava muito impressionada com as imagens. E estas deste vídeo são as mesmas da coleção dele. Muito chocantes. A novela "Viagem", da Globo quis retratar o inferno e o Paraíso de Dante, até que ficou parecido, principalmente porque o paraíso foi filmado aqui, no Paraná...

2 comentários:

Rodrigo Fernandes disse...

lembro-me de que no ano passado tinha recriado o que seria algo parecido com o rosto de Dante.. hehe, lembro do narigão achatado... alias, já tinha uma pintura retratando o rosto dele, não é.. não me lembro qeu a pintou, mas enfim...
um grande artista.. faz tanto tempo que não estudo esse italiano que até havvia me esquecido dessas imagens incriveis aí do vídeo..
beijos e um ótimo Domingão, Miriam!!!

Pedro Henrique disse...

Minha mãe chora quando lê esse poema, rsrsrs. Belo!

Abraço!