sexta-feira, 14 de março de 2008

Quantas vezes se leu "Os Sertões"?


“De sorte que sempre evitado, aquele sertão, até hoje desconhecido, ainda o será por muito tempo."
Os Sertões* - Euclides da Cunha


Quem, efetivamente, leu este livro? Esta é uma interrogação que faço aos meus amigos professores. Estou trabalhando-o com os meus alunos do terceiro ano do ensino médio, mas confesso que passo o filme “ Canudos” e depois de discutir com a turma peço alguns trabalhos variados e monto um painel sobre as pesquisas. Acho que não se pode exigir uma leitura tão complexa aos nossos alunos. Que a obra é importante nós sabemos, mas fazê-los ler e analisar um discurso tão erudito é pedir demais. Há mais de 100 anos a nação brasileira discute, pesquisa e questiona o que aconteceu neste episódio da revolta de Canudos, e o que levou Antônio Vicente Mendes Maciel (o Conselheiro) a tomar aquelas atitudes contra a República. Com dúvidas ou sem dúvidas, nós professores, podemos a partir destes estudos despertar em nossos alunos a atualidade da obra. Devemos mostrar o seu caráter de denúncia, os problemas de origens sociais que ainda hoje são tratados pelo poder público de forma semelhante ao tratamento dado aos seguidores de Antônio Conselheiro. É um livro que nos dá a oportunidade de a partir de Canudos ter uma visão das classes oprimidas e excluídas. O ressurgimento de figuras como a de Moreira César, o corta-cabeças, encarnadas em homens como os que comandaram a invasão da Penitenciária do Carandiru, ou dos assentamentos de terra de Eldorado dos Carajás (PA) e Corumbiara (RO), nos fazem ter certeza que passados mais de 100 anos, Canudos ainda vive. Episódios traumáticos como os ocorridos com as crianças da Candelária e com o crescente índice de violência nos atuais centros urbanos dão nos mostras do abandono social em que se encontra a população, principalmente a mais carente.

A obra de Euclides é muito comentada e infelizmente pouco lida e o sertanejo brasileiro continua sendo um desconhecido e a vida no sertão, a cultura, os costumes, ainda hoje é uma grande incógnita para a maioria dos brasileiros.

Um comentário:

Pedro Henrique disse...

Olá Miriam,

Eu li "Os Sertões", mas há muito tempo. Assim que puder folharei novamante o brilhante livro de Euclides da Cunha.

Abraço!!!